O Sol há de brilhar

O “10º Prêmio Hugo Werneck” contará com o sol de Van Gogh e a voz guerreira de Clara Nunes
Prêmio Hugo Werneck
Publicado em: 10/07/2019

Imortalizada na interpretação de Clara Nunes, a música e letra de “Juízo Final”, de Nelson Cavaquinho, será o tema da 10ª edição do Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza, a maior premiação ambiental do Brasil. As inscrições e indicações já estão abertas desde o dia cinco de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. Promovido pela Revista Ecológico, o evento, este ano, que tem a Fiemg como có-realizadora, irá prestar uma homenagem especial à obra ensolarada do pintor holandêz Vicent van Gogh, com a inclusão da Categoria “Melhor Exemplo em Energia Solar”.

Para concorrer basta acessar o site www.premiohugowerneck.com.br , fazer o cadastro e preencher os formulários digitais disponíveis. As duas formas de participar são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente online até as 23h59 do dia 05 de setembro próximo.

A sustentabilidade no sol – De Van Gogh à Energia Solar

Sob a temática da energia solar, o objetivo é reconhecer projetos, instituições, cidadãos, empresários, políticos e personalidades que contribuem para a preservação ambiental por meio de iniciativas diversas, incluindo as demais formas de energias limpas, de baixo impacto na natureza.

Além de ser limpa, renovável e sustentável, sem emissões de gases de efeito estufa, resíduos e ruídos, a energia solar não necessita de água para operar, aliviando a pressão sobre os recursos hídricos. E permite, ainda, a redução de gastos com energia elétrica.

“Desde 2017 o Brasil está entre os 10 países que mais investiram em energia solar, sendo Minas Gerais o estado líder em potência instalada, com 148,4 MW, segundo a Aneel. Belo Horizonte se tornou a capital brasileira com mais painéis fotovoltaicos instalados, tanto em indústrias quanto residências. Daí a importância de se investir e divulgar mais sobre a energia solar como uma alternativa sustentável para a matriz energética de nosso país, perante o Acordo de Paris”, destaca o jornalista Hiram Firmino, coordenador do prêmio e diretor da Revista Ecológico.


Postar comentário